ONG Parceira do PortoWeb

Morre Lícia Peres, socióloga, feminista e militante política

Natural de Salvador, na Bahia, Lícia morava na Capital desde 1964

Foto: Lauro Alves /Agencia RBS

A socióloga Lícia Margarida Macedo de Aguiar Peres morreu nesta quinta-feira, aos 77 anos, em Porto Alegre. Natural de Salvador, na Bahia, morava na Capital desde 1964. Ela era viúva do jornalista gaúcho Glênio Peres (1933-1988), que foi vice-prefeito de Porto Alegre no governo de Alceu Collares (1986-1988). As informações são de Zero Hora.

Formada em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), iniciou a militância política no movimento estudantil. Atuante na resistência à ditadura militar, filiou-se ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB). Admiradora de Leonel Brizola, foi uma das fundadoras do Partido Democrático Trabalhista (PDT), no qual atuou durante o período da redemocratização. Participou ativamente das campanhas eleitorais do partido e foi integrante tanto do diretório estadual como do nacional.

Além disso, foi dirigente da Ação da Mulher Trabalhista (AMT), órgão que congrega as mulheres do PDT. Entre outras realizações, a socióloga participou da comissão do Acervo de Luta contra a Ditadura no Rio Grande do Sul desde sua criação, no início dos anos 2000.

Lícia disputou cargos públicos pelo PDT em duas oportunidades: em 2004, quando foi candidata a vice-prefeita de Porto Alegre na chapa em que Vieira da Cunha disputou a prefeitura, e em 2010, quando concorreu ao Senado.

Feminista, fundou e presidiu o Comitê Feminino pela Anistia no Rio Grande do Sul. Escrevia com regularidade artigos relacionados com a temática das mulheres.

Conforme a família, era cinéfila, amante da literatura, da música e das artes. Lícia, que considerava-se porto-alegrense de coração, deixa o filho Lorenzo. O velório está marcado para amanhã às 9h no Teatro Glênio Peres, na Câmara Municipal de Porto Alegre.


Uruguai- Nunca terrorismo Novamente estado
NOTA OFICIAL - TRAGÉDIA EM SANTA MARIA
Um dos museus mais interessantes da cidade do México, é o Museo Memorial del 68.
FELIZ NATAL E PRÓSPERO ANO NOVO
Espião da Ditadura brasileira hoje é pastor em Montevidéo
Entrega do prêmio do 29º Prêmio de Jornalismo do MJDH/RS reúne a nata da imprensa brasileira
COLETIVA À IMPRENSA- Operação Condor
O Movimento de Justiça e Direitos Humanos, tem o prazer de convidar para a exibição comentada - do filme: EL CLAVEL NEGRO*.
Conheça os vencedores do XXIX PRÊMIO DIREITOS HUMANOS DE JORNALISMO - 2012.
PORTAL IG - Comissão da Verdade quer acesso a dados do Exército no Rio Grande do Sul
Fotos da entrega de documentos da Operação CONDOR- Confirma
Justiça em Foco- O ativisita de direitos humanos, Jair Krischke, entrega a Drª Rosa Maria Cardoso, integrante da Comissão Nacional da Verdade (CNV), documentos inéditos do acervo do Movimento de Justiça e Direitos Humanos, que ele preside desde 1979.
Msn Notícias - Documentos entregues à Comissão da Verdade mostram que Brasil criou e comandou Operação Condor
Correio da Bahia - Documentos entregues à CNV mostram que Brasil criou e comandou Operação Condor
Rádio Brasil Atual - Brasil foi decisivo para Operação Condor, afirma ativista de direitos humanos
Rádio CBN - Movimento de Justiça e Direitos Humanos apresenta novos documentos à Comissão da Verdade
Rádio Guaíba- Em audiência em Brasília, presidente da entidade, Jair Krischke, também revelou documentos inéditos sobre a repressão militar
Agência Brasil- Ativista de direitos humanos entrega documentos inéditos à Comissão da Verdade
Site Terra - Documentos mostram que Brasil criou e comandou Operação Condor
Sul 21 - Documentos comprovam que Brasil criou e comandou Operação Condor, diz Krischke

Anterior || ... | 4 | 5 | 6 | 7 | Página 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | ... || Próxima

A+-     A  ?
» Contatos
Movimento de Justiça e Direitos Humanos

Av. Borges de Medeiros, 340 - 94
Porto Alegre - RS

 (51) 3221-9130
 Fale Conosco









Desenvolvimento PROCEMPA