ONG Parceira do PortoWeb

Definidas responsabilidades no PAN para Conservação de Répteis e Anfíbios da Região Sul (16/01/2012)

Depois de acordados os objetivos específicos do Plano de Ação Nacional (PAN) para Conservação de Répteis e Anfíbios da Região Sul, em outubro passado, uma nova fase de mobilização é iniciada. Foram definidas as atividades, responsabilidades, atribuições e recursos necessários para cumprimento das metas estabelecidas como prioritárias para os próximos cinco anos, a fim de garantir a manutenção da biodiversidade das espécies ameaçadas. 

São 50 espécies de répteis e anfíbios consideradas alvo das ações do  PAN na região sul do Brasil, que se encontram vulneráveis ou sob ameaça de extinção. O diagnóstico é comum à maioria das espécies listadas, entre as quais a perereca (Hypsiboas marginatus) e o cágado-rajado (Phrynops williamsi), elas correm risco devido à destruição dos ecossistemas onde habitam. “A vulnerabilidade dessas espécias as coloca como indicadoras da pressão exercida sobre os ambientes que além de altamente biodiversos são responsáveis por uma importante e vital conjunto de serviços ambientais às populações humanas que habitam em sua proximidade”, ressalta Alexandre Krob coordenador técnico do Instituto Curicaca. 

Articulando as ações entre governos, universidades, centros de pesquisa e ONGs, o PAN implantará projetos, pressionará a adequação e cumprimento das legislações e criará mecanismos de proteção.  O Instituto Curicaca será o principal articulador de ações que permitam a redução dos impactos causados às espécies pelas atividades agrossilvopastoris.
Para isso serão executados projetos de manejo conservacionista, aplicáveis tanto em áreas de encostas, nas quais ocorre o plantio de monoculturas, quanto em áreas de campo nativo onde é realizada a pecuária, nessas últimas serão também fortalecidos os mecanismos legais de controle do uso do fogo. Também são prioridades a elaboração do zoneamento da silvicultura onde haja ocorrência das espécies alvo e a realização de oficinas para intensificar o conhecimento das comunidades sobre ações que garantam a conservação das espécies.
Serão ainda integradas as ações de diferentes instituições que atuam pela conservação de répteis e anfíbios nas áreas dos microcorredores de Itapeva e a Lagoa do Morro do Forno, prioritárias para o Instituto Curicaca, e um plano de ação para sete municípios do litoral norte gaúcho e Jacinto Machado, em Santa Catarina.

“Precisamos estimular e mobilizar a adoção de práticas conservacionistas de produção e despertar o interesse por parte dos produtores e das comunidades em contribuir para a proteção destas espécies”, avalia Krob, apontando algumas dificuldades que podem ser encontradas. As ações, articuladas pelo Curicaca contam com a colaboração dos órgãos ambientais gaúchos e catarinenses, de universidades dos dois estados, da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (RBMA), de prefeituras locais, gestores de Unidades de Conservação e entidades não governamentais. Algumas atividades já estão iniciadas e devem ser fortalecidas até dezembro de 2016.


Artes do Butiá na mira do Patrimônio Cultural Imaterial do Rio Grande do Sul
Instituto Curicaca reforça convite para debate dos Códigos estaduais, Florestal e Ambiental.
ICMBio discute medidas administrativas para o Refúgio da Ilha dos Lobos. (13/04/2016)
A América conversa em Workshop sobre Conservação e Manejo de Habitat para Aves Limícolas. (24/03/2016)
A ética da adaptação para o Aquecimento Global. (22/03/2016)
Nota de alerta sobre afrouxamento das licenças ambientais (15/03/2016)
Quilombo São Roque: dez anos do dilema Ocupar vs. Preservar. (14/03/2016)
Das escolas para o mundo: a Educação Ambiental começa aqui. (02/03/2016)
Seminário sobre a situação da Fauna Silvestre reúne recomendações em carta aos gestores públicos (10/12/2015)
Curicaca, UFRGS e MP promovem Seminário Estadual “Situação da Fauna Silvestre no Rio Grande do Sul” (24/11/2015)
Suspensão do período de defeso não se aplica ao RS e SC (05/11/2015)
ESEC do Taim propõe ampliação de mais de 22 mil hectares à unidade (30/10/2015)
Apenas o corredor trinacional viabilizará mastofauna do Turvo (23/10/2015)
Seminário de corredores ecológico quer provocar o Governo (08/10/2015)
Curicaca retoma atividades de educação ambiental no RS Biodiversidade (08/10/2015)
Experiência de conservação do sapinho-admirável é referência internacional para herpetólogos (05/10/2015)
Peixes marinhos ameaçados voltam a ter segurança no Rio Grande do Sul (19/9/2015)
Curicaca apresentará pôster sobre cervo-do-pantanal no CBUC (18/9/2015)
Aves e lobos, nossos amigos da praia (03/09/2015)
Butiazais do Coatepe e pecuária tradicional buscam harmonia (28/08/2015)

Página 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | ... || Próxima

A+-     A  ?

 
Financiadores

Apoiadores Institucionais




Desenvolvimento PROCEMPA